Neste artigo adiiconamos o "Manual de Elaboração de Mapa de Riscos" do governio de Goiás, departamento de gerência de saúde. Esta manual de 16 páginas mostra de uma forma bem didática como fazer o mapa de riscos.



DDS sobre Inspeção das Ferramentas de Trabalho



DDS sobre Organização e Limpeza – Etapa Final do Trabalho



A.P.R. - Desmontagem de ferragens de estacas
Ramo: Construção Civil



A.P.R. - Concretagem de piso
Ramo: Construção Civil



A.P.R. - Construção, montagem e manutenção de canteiros
Ramo: Construção Civil



A.P.R. - Serviços de Carpintária
Ramo: Construção Civil
 



A Organização Internacional do Trabalho – OIT assinala que a globalização tem resultado em reorganização do processo produtivo e reestruturação na gestão da mão de obra, com um caráter cada vez mais competitivo do entorno econômico e com importantes transformações nas pautas do trabalho e do emprego. Estas alterações têm-se traduzido, por sua vez, em um aumento do número de trabalhadores(as) que ocupam empregos precários ou temporários.



Em estudo realizado na indústria da alimentação de Pelotas, utilizou-se a metodologia do Modelo Operário para elaborar mapas de riscos. Inicialmente, representaram-se os grupos de riscos por meio de figuras geométricas, com graduação de tamanho para caracterizar a intensidade. Notou-se que estas tinham pouco significado para o trabalhador. Além disso, com a agregação de riscos com diferentes impactos sobre a saúde, perdia-se o detalhamento da exposição. 



Existe no PPP o item 17, que serve para as informações sobre os exames médicos obrigatórios, clínicos e complementares, realizados pelo trabalhador, constantes nos Quadros I e II, da NR-07 do MTE.